• Kit Teste Básico Alcon
  • Kit Teste Básico Alcon
  • Kit Teste Básico Alcon
  • Kit Teste Básico Alcon
  • Kit Teste Básico Alcon
Kit Teste Básico Alcon

Kit Teste Básico Alcon

Modelo: 16515616563
(0)
R$ 85,00
no cartão em 1x
Pix
R$ 80,75
-5%
no PIX
Calculo de frete
Não sei o meu CEP
Produto indisponível! Podemos avisar você quando estiver disponível?

KIT TESTE BÁSICO

O kit teste básico contém todos os testes necessários para conferir a saúde do seu lago ou aquário (água doce), com ele você pode conferir: amônia, nitrito e pH.

Manter os parâmetros estáveis é essencial para manter a qualidade de água e a saúde dos seus peixes.


TESTE DE PH - Labcon - Aquários e Lagos Ornamentais

Água Doce - Mede o pH na escala de 6,2 a 7,5

Indicação de uso:
Utilize semanalmente, ou sempre que os peixes apresentarem algum comportamento diferente, LabconTest pH Tropical para verificar o pH da água, em caso de alterações tome as medidas cabíveis de correção do pH. É importante verificar o pH antes e após as trocas parciais de água, pois mudanças bruscas são estressantes aos peixes.

Os estados de acidez ou alcalinidade de uma solução aquosa estão relacionados à concentração de íons hidrogênio H+, carregados positivamente, interagindo sobre os íons hidróxido OH-, carregados negativamente. Através da verificação do potencial do íon hidrogênio, ou pH, é possível se conhecer o estado da água em termos de acidez ou alcalinidade. O pH é quantificado dentro de uma escala numérica que vai de 0 a 14, tendo o 7 como ponto neutro ou ponto de equilíbrio entre as cargas.

Valores inferiores a 7 referem-se a uma predominância de íons H+ sobre os OH-, indicando um estado de acidez, e valores superiores a 7, indicam estado de alcalinidade, com situação inversa em relação a concentração de íons. O pH aceitável para água de aquário da maioria dos peixes de água doce vai de 6,0 a 7,8, sendo que o pH ideal situa-se entre 6,8 e 7,2. Antes de colocar peixes no aquário, é conveniente consultar a literatura especializada a fim de identificar qual é o pH ideal, uma vez que este pode variar de acordo com a espécie.


TESTE DE AMÔNIA - Labcon - Aquários e Lagos Ornamentais

Água DOCE - 15ml

Ocorrência da amônia no ambiente
Sobras de alimentos, produtos da excreção dos peixes, restos de plantas e peixes mortos são desdobrados em amônia por bactérias heterotróficas, num processo chamado amonificação. Grande parte da amônia também se origina diretamente dos peixes, principalmente excretada pelas brânquias. Na seqüência deste processo a amônia, por ação de dois grupos de bactérias autotróficas nitrificantes, é oxidada primeiramente a nitrito e depois a nitrato.

Este último composto é finalmente consumido como nutriente pelas algas e plantas aquáticas. Em ambientes naturais intactos há um completo equilíbrio entre os organismos e os compostos gerados, fazendo com que este ciclo funcione perfeitamente. Sendo os aquários ambientes limitados, não se tem, de forma natural e espontânea, o equilíbrio desejado.

É preciso interferir e é aí que entram o monitoramento das variáveis relacionadas à qualidade da água, como a amônia, a montagem do aquário com um adequado sistema de filtragem biológica e as rotinas de manutenção, como as sifonagens de fundo e trocas parciais de água.

Influência da amônia sobre os peixes
Níveis elevados de amônia provocam estresse nos peixes, com consequente diminuição da resistência imunológica, danos nas brânquias e destruição das nadadeiras. A amônia interfere na transferência de oxigênio das brânquias para o sangue e, a médio prazo, causa danos às próprias brânquias. As membranas produtoras de muco podem ser destruídas, reduzindo a limosidade de cobertura externa e danificando a superfície intestinal. Peixes sofrendo de envenenamento por amônia geralmente apresentam-se ofegantes, nadando na superfície e com comportamento apático.

Amônia tóxica
Quimicamente falando, a amônia no ambiente aquático pode apresentar-se em duas formas, ionizada (NH4+) e não ionizada (NH3). O balanço entre as duas formas é determinado principalmente pelo pH, e em menor grau pela temperatura. Com o aumento do pH, este balanço muda no sentido da forma NH3, aumentando exponencialmente sua proporção. Somente a forma NH3 é importante em termos de toxicidade. O risco de intoxicação, portanto, aumenta muito em aquários de pH caracteristicamente mais elevados, como os aquários de Ciclídeos Africanos.

Investigação da amônia
Teores da forma NH3 inferiores a 0,02 ppm são considerados seguros para os peixes, enquanto teores superiores a 0,04 ppm exigem providências.LabconTest Amônia Tóxicamede primeiramente o teor de amônia total. Na tabela para definição do teor de NH3, deve-se relacionar o valor apurado de amônia total com os valores de pH e temperatura. Valores de NH3 na zona verde são considerados adequados. Os pontos localizados na zona amarela merecem atenção, enquanto os valores na zona vermelha indicam risco e pedem providências.

Providências
Ao se constatar valores de NH3 acima de 0,04 ppm (zona vermelha) deve-se imediatamente realizar sifonagem de fundo com troca parcial de água. Deve-se analisar e, se necessário, corrigir o pH da água a ser adicionada ao aquário. Esta não deve apresentar pH superior ao da água que já está no aquário, para não potencializar a amônia tóxica, ao elevar o pH da mistura. Em seguida deve-se verificar o funcionamento do sistema de filtragem e diminuir a alimentação habitual por alguns dias.


TESTE DE NITRITO - Labcon - Aquários e Lagos Ornamentais

Água Doce e Salgada

Origem dos compostos nitrogenados:
Sobras de alimentos, produtos da excreção dos peixes, restos de plantas e peixes mortos são desdobrados em amônia por bactérias heterotróficas, num processo chamado amonificação. Grande parte da amônia também se origina diretamente dos peixes, principalmente excretada pelas brânquias. Na seqüência deste processo a amônia, por ação de dois grupos de bactérias autotróficas nitrificantes, é oxidada primeiramente a nitrito e depois a nitrato.

Este último composto é finalmente consumido como nutriente pelas algas e plantas aquáticas. Em ambientes naturais intactos há um completo equilíbrio entre os organismos e os compostos gerados, fazendo com que este ciclo funcione perfeitamente. Sendo os aquários ambientes limitados, normalmente não se tem de forma natural e espontânea o equilíbrio desejado.

O monitoramento dos compostos nitrogenados (amônia, nitrito e nitrato) na água, as rotinas de manutenção, bem como, a montagem e manutenção dos filtros biológicos e mecânicos, são responsabilidade do aquarista. Estas práticas são fundamentais para obtenção de sucesso neste hobby.

Teores elevados de nitrito são tóxicos aos peixes, causam estresse e afetam os glóbulos vermelhos do sangue, reduzindo a capacidade respiratória destes animais. A água do aquário sob tais condições, por um período prolongado, pode provocar a morte dos peixes por asfixia. Níveis adequados de nitrito não significam necessariamente níveis adequados de seu precursor amônia e vice-versa, daí a necessidade de monitoramento das duas variáveis.


Produtos relacionados

Avaliações do produto

Ei, esse produto ainda não foi avaliado!

Conte para todos o que você achou dele.

Cookies
X

Este site utiliza cookies para te proporcionar uma melhor experiência. Ao continuar navegando, você aceita nossa Política de Privacidade.